segunda-feira, 6 de março de 2017

Número de usuários do Sistema de Trens Urbanos de Natal dobra em 2 anos

02/02/2017 - CBTU

Pelo segundo ano consecutivo a CBTU Natal contabiliza crescimento do número de passageiros transportados. Em 2016 o aumento foi de 29% em relação ao ano anterior. Ao longo do último ano, foram transportados 3.085.567 passageiros, número superior aos 2.390.099 transportados em 2015. Em valores absolutos, houve o acréscimo de 695.468 passageiros transportados em 2016 comparado a 2015, que já havia acrescentado novos usuários. Se comparado ao ano de 2014, no qual 1.541.452 pessoas foram transportadas, este número mais que dobrou.

Um dos fatores que contribuiu para o crescimento foi a manutenção dos bons índices de regularidade e de pontualidade. Aliado a isso, 2016 foi o ano da consolidação da inserção de duas novas viagens na grade da Linha Norte (Natal/Ceará-Mirim) e do Projeto Trem da Praia, que iniciou operações tanto nos domingos como também nos feriados, inserindo oito novas viagens, sendo 4 para a linha Norte e 4 para a Sul.

Para a Companhia, a tendência é que se mantenha o ritmo de crescimento no número de passageiros transportados ao longo de 2017, uma vez que neste ano mais duas composições de VLT auxiliarão na operação do sistema, assim como novas viagens serão inseridas na grade horária. Atualmente, um grupo de trabalho, formado pelo corpo técnico da CBTU Natal, está analisando a inclusão de novas viagens na grade operacional, de modo que, ainda este ano, a CBTU lançará novas viagens.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Ministro das Cidades entrega quarto VLT e anuncia investimentos para a CBTU NATAL

18/11/2016 - CBTU

Na manhã desta sexta-feira (18), o ministro das Cidades, Bruno Araújo, em visita à CBTU Natal, realizou a entrega da quarta composição de Veículo Leve sobre Trilhos e anunciou novos investimentos para a melhoria do sistema de trens urbanos da Região Metropolitana de Natal. A solenidade teve início ás 11h30 com o embarque do Ministro na nova composição de VLT, que o levou da estação Alecrim até o pátio da Companhia, no bairro da Ribeira. Acompanharam o ministro na viagem inaugural, o Senador Garibaldi Alves; o Governador do Estado, Robinson Faria; o Diretor Presidente da CBTU, José Marques; o Deputado Federal, Rogério Marinho; o Superintendente da CBTU Natal, Leonardo Diniz; o Superintendente da CBTU Recife, Leonardo Villar, e demais autoridades. 

Após o desembarque, o ministro anunciou no auditório da Companhia, para os ferroviários, autoridades e imprensa, a entrega do novo equipamento que custou 10 milhões de reais, assim como as obras de modernização da via permanente, no trecho Ribeira/Nova-Natal, e a construção de duas novas estações, uma no bairro soledade e outra no Potengi próximo aos shoppings da Zona Norte, ações essas que devem ter início em 2017. 

O ministro destacou que é importante entregar o serviço à população, buscando não só aperfeiçoar e reduzir o custo, mas melhorar a qualidade do transporte do cidadão. “Todas as obras de mobilidade urbana, saneamento ambiental e habitação que fazem parte do PAC estão absolutamente em dia. Não há nenhuma medição hoje de obra do Ministério das Cidades no Brasil que apresenta inadimplência por parte do governo federal”, afirmou. Ele ressaltou que as obras em andamento no país ajudam na geração de emprego. 

Durante o evento, o ministro anunciou ainda a autorização de recursos no valor de R$ 6 milhões para elaboração do projeto executivo de ampliação da linha, que vai de Extremoz até o aeroporto, em São Gonçalo do Amarante. 

Ainda em seu discurso, Bruno Araújo fez questão de agradecer a todo o corpo funcional da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) pela dedicação e avanço na entrega do objetivo principal, que é a melhoria da qualidade do serviço à população. 

Para o presidente Nacional da CBTU, José Marques, os investimentos anunciados pelo Ministério das Cidades e o apoio de equipe técnica estão mudando o cenário da empresa que no início deste ano enfrentou dificuldades por conta do contingenciamento de recursos. “ Hoje, por exemplo, a malha viária da Grande Natal recebe um reforço substancial com a entrega deste quarto VLT que vai transportar por hora cerca de seiscentas pessoas. O nosso projeto é chegar no futuro a contar com um total de dez VLTs, equipamentos que oferecem mais conforto ao usuário”. 

De acordo com Leonardo Diniz, Superintendente da CBTU Natal, os anúncios realizados pelo Ministro Bruno Araújo, reforçam o compromisso com Governo Federal com a transporte de passageiros sobre trilhos e a mobilidade urbana no RN. “Em um ano de gestão conseguimos um aumento de 40% no número de usuários transportados. Com a conclusão do projeto de modernização, poderemos alcançar a meta de transportar 60 mil pessoas por dia, cinco vezes mais do que transportamos hoje”, complementou.

Fonte: CBTU
Publicada em:: 18/11/2016

terça-feira, 1 de março de 2016

Governo do RN recebe projeto de expansão de linha férrea

29/02/2016 – Mossoró Hoje / Governo do RN

O Governador em exercício, Fábio Dantas, recebeu na manhã desta segunda-feira (29), o superintendente regional da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), Leonardo Diniz, que apresentou um projeto de expansão da linha férrea na região metropolitana de Natal.

A proposta é implementar a linha Branca nos municípios de Parnamirim, São José de Mipibu e Nísia Floresta.

O projeto tem um investimento de mais de 152 milhões de reais e inclui a construção de oito novas estações e a compra de mais três composições de Veículos Leves sobre Trilhos (VLT).

“É um plano muito importante para o desenvolvimento dos municípios envolvidos até porque ampliará os seus potenciais turísticos. A população também ganhará com a mobilidade. O Governo tem total interesse neste projeto e, para isso, contamos com o apoio da bancada federal”, destacou Fábio Dantas.

Leonardo Diniz explicou que a obra depende da liberação de recursos do Ministério das Cidades.

“Viajo amanhã para o Rio de Janeiro para apresentar esse estudo ao presidente da companhia que já apoiou a ideia. Agora dependemos inicialmente da verba de dois milhões de reais para criar o projeto executivo”, disse.

O prefeito de São José de Mipibu, Arlindo Dantas, diz que o projeto vai beneficiar a população da cidade. “A população que vai trabalhar em Natal diariamente passará a usar o VLT, diminuindo custos com passagens, combustível e tempo de viagem”, comentou.

Recuperação de Estradas

Também estiveram presentes na reunião vereadores dos municípios e o representante do DER, Nicodemos Ferreira da Silva.

Na ocasião, o Governador em exercício discutiu a recuperação das estradas que ligam São José de Mipibu a Nísia Floresta e Monte Alegre a Lagoa Salgada. “Pedimos ao DER que essas estradas sejam prioridades quando os recursos do RN Sustentável forem liberados”, falou Fábio Dantas.


terça-feira, 19 de janeiro de 2016

CBTU Natal teve um incremento de 55% no número de passageiros transportados em 2015


19/01/2016 – CBTU

A CBTU Natal fechou o ano de 2015 com aumento de 55% no número de passageiros transportados

A CBTU Natal fechou o ano de 2015 com aumento de 55% no número de passageiros transportados em relação a 2014. Dentre os principais fatores que levaram ao incremento desses valores está a implantação do VLT no sistema ferroviário da Grande Natal.

Ao longo do ano passado foram transportados 2.390.099 passageiros, número superior aos 1.541.452 transportados em 2014. Foi em 2015 que três composições de VLT passaram a circular na grade diária operada pela CBTU Natal, além das duas novas locomotivas. Com essas implementações, a regularidade e pontualidade do serviço melhoraram consideravelmente, acrescido do conforto trazido pelos novos veículos como o ar-condicionado, painéis informativos, dentre outras modernidades do VLT.

Contribuíram ainda para o bom resultado da Companhia, a implantação de duas novas viagens à grade horária na Linha Norte de segunda a sexta, entre as estações Natal e Extremoz; e a criação do Projeto Trem da Praia, realizando oito viagens, sendo quatro na Linha Norte e quatro na Linha Sul, durante os domingos e alguns feriados.

O aumento do número de passageiros transportados é uma consequência direta da melhora desses índices. Mais frequência e pontualidade implicam maior confiança dos passageiros e usuários dos diversos modais de transporte público. Aqueles que antes deixavam de utilizar o sistema ferroviário devido à regularidade instável e pontualidade duvidosa dos trens, com o VLT e seus atrativos, passaram a utilizar o modal sobre trilhos.

A expectativa da CBTU é manter o ritmo de crescimento dos números de passageiros transportados no Rio Grande do Norte, com o recebimento gradativo dos outros nove VLT já adquiridos e o andamento do projeto de modernização do sistema.


segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Projeto VLT Aeroporto continua sem data para sair do papel

24/10/2015 - Portal no Ar - Natal/RN


Projeto aguarda definição de datas para execução (Foto: Wellington Rocha)
Projeto aguarda definição de datas para execução (Foto: Wellington Rocha) Projeto aguarda definição de datas para execução (Foto: Wellington Rocha)

Pensado como mais um acesso ao Aeroporto Internacional Aluízio Alves, o projeto do VLT Aeroporto (Veículo Leve sobre Trilhos) é mais uma das muitas obras de mobilidade que sequer saíram do papel. A proposta contempla a implantação de uma linha férrea de 17 km que ligará o terminal aeroviário ao sistema atual de VLT já implantado na capital.

De acordo com informações da assessoria de comunicação da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), o projeto já está pronto, mas não pôde ser adiantado em função de mudanças na presidência da companhia e da superintendência regional.

“Os novos gestores ainda estão se inteirando sobre o projeto e os tramites necessários para bota-los em prática. Ainda não há informações precisas nem previsões de datas”, informou a assessoria.

Ainda de segundo a CBTU, o novo presidente está fazendo visitas às superintendências regionais e que em breve estará em Natal quando mais detalhes sobre o projeto deverão ser apresentados.

Hub

O projeto do VLT Aeroporto deve somar pontos para o Rio Grande do Norte na disputa pelo hub da Tam, cuja sede será divulgada até o final do ano. Além de Natal, Fortaleza e Recife estão na disputa.

Na época em que foi anunciado o projeto, o governador Robinson Faria destacou a importância da proposta para potencializar a conquista do Hub para Natal. “O tramo norte da linha roxa, como foi definido no projeto, irá beneficiar cerca de 15 mil pessoas”, acrescentou ele na época.

Projeto

O projeto da linha férrea até o Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante é de 17 quilômetros e foi incorporado ao Plano Plurianual 2016-2019 da CBTU. O objetivo agora, segundo a companhia é incluir a proposta no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 3).

Projeto vai interligar municípios da Grande Natal em linha para o aeroporto (Foto: Alberto Leandro/PortalNoar)
Projeto vai interligar municípios da Grande Natal em linha para o aeroporto (Foto: Alberto Leandro/PortalNoar) Projeto vai interligar municípios da Grande Natal em linha para o aeroporto (Foto: Alberto Leandro/PortalNoar)

A linha está orçada em, R$ 249,8 milhões e prevê a instalação de 10 novas estações e compra de cinco composições de VLT, cada um com três carros. O projeto de modernização do sistema já em curso contempla 12 composições, das quais já foram entregues e estão em funcionamento.

A nova linha vai de Extremoz a São Gonçalo do Amarante e prevê uma linha estimada em 23 km integrado ao Aeroporto Aluízio Alves à Macaíba e seguindo até a BR-101, em Parnamirim.

Este outro trecho, chamado de tramo sul da linha roxa, não tem ainda o estudo de viabilidade de um anel em Natal, com a implementação de mais duas linhas levando o VLT até o campus da Universidade do Rio Grande do Norte.

Além da expansão, o projeto prevê novas estações e duplicação da linha do VLT. A linha partirá da BR-101 Norte ao lado do Gás Butano e seguirá pelo bairro Jardins em São Gonçalo do Amarante, Guajirú e Aeroporto.

Atualizado em 24 de outubro às 10:47

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Governo da Bahia adia licitação do VLT

25/08/2015 - A Tarde - BA

Anunciado para o dia 14 deste mês, o lançamento do edital de licitação para as obras do VLT foi adiado. Segundo a assessoria de comunicação da Casa Civil do Estado,  foi preciso fazer alguns ajustes técnicos e, por isso, o prazo foi estendido.

Em entrevista ao A TARDE no início do mês, o secretário da Casa Civil, Bruno Dauster, disse que, após a licitação, as obras iniciariam em cerca de 90 dias.

O projeto prevê a reforma e construção da linha permanente, das paradas, implantação dos sistemas de eletricidade e comunicação e a urbanização da faixa de domínio (margem do trajeto).

O percurso será ampliado - passará a ser entre o Comércio e a Av. São Luís, em Paripe - de 13,5 km para 18,4 km e, posteriormente, para 19,9 km, quando o veículo for até a Estação da Lapa.

Segundo Dauster, na área limítrofe do sistema serão construídas calçadas e vias para ciclistas. As estações também serão reformadas e os prédios serão utilizados para a oferta de serviços à população.

O coordenador de Operações da CTB, Al Mello, adiantou que existe o projeto de implantar um Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) na estação da Calçada. "Com isso, fazemos a chamada solução 'não transporte'. O cidadão não precisará mais se deslocar para o centro da cidade para fazer documentos", diz.

Controvérsia

O coordenador-geral do movimento Ver de Trem, Gilson Vieira, contesta a forma como o projeto do VLT foi executado. "Esta reforma poderia ser feita de forma sustentável e paulatina, sem que fosse preciso parar o sistema", disse.

Ele lembrou que o atual passou por reforma recentemente, em 2012, e que a manutenção deveria ter sido melhor aproveitada. Gilson diz que  está agendando uma audiência  com a Defensoria Pública do Estado para discutir o caso, no dia 1º de outubro.

O coordenador da ONG também relatou que o projeto do governo não  dialoga com o do Ministério dos Transportes, que pretende estender a ferrovia para Conceição da Feira e Alagoinhas futuramente.

Trens do subúrbio de Salvador resistem à degradação

25/08/2015 - A Tarde - BA

Às 5h45,  enquanto muita gente ainda dorme, Wilson Cruz, 53, realiza a  primeira viagem do dia. Aos olhos do condutor de trens do subúrbio ferroviário de Salvador, na profissão há 26 anos,   o trajeto de 13 km entre a  Calçada e Paripe já não oferece novidade.

Quem faz o percurso pela primeira vez, no entanto,  impressiona-se com o que vê. O passeio transita entre o bucólico e a degradação.

O conserto de barcos na praia, o cozimento a lenha à margem dos trilhos e a vista da baía conferem o clima agradável. Por outro lado,  construções precárias,  lixo amontoado, desmanche de carros,   moradores de rua e a poluição do mar alertam para os problemas.

Na plataforma de embarque da Calçada, uma amostra do maria fumaça  figura entre os novos trens, já não tão novos assim. "Esse aqui é o melhor transporte  do mundo. Não tem quebra-molas, engarrafamento ou poluição. Mas eles preferem o rodoviário. Não dá para   entender!", observa o maquinista, como é popularmente chamado.

Wilson Cruz conta que entrou no ramo por  acaso: "Estava a caminho de uma entrevista de emprego para uma cervejaria, me atrasei e perdi a vaga. Então, vi no jornal A TARDE  que havia um concurso para a área. E aqui estou".

Degradação

Em todo o trajeto, principalmente no trecho até o Lobato, a linha férrea acumula muito entulho. Eletrodomésticos velhos, como fogão, sofá, estante, TV e até geladeira são descartados na margem da ferrovia.

Ao lado do trilho, um monte de barro se acumula, segundo Wilson, oriundo de escavações  para a construção de casas. "O lixo é um problema. Às vezes,  engancha no trem, tem que parar a composição para fazer manutenção. O que prejudica os usuários", conta.

O coordenador de operações da Companhia de Transporte da Bahia (CTB), Al Mello, diz que o acúmulo deve-se à falta de consciência dos moradores do entorno. "Eles sabem que, a cada 15 dias,  fazemos mutirão com o trem, recolhendo  lixo. Por isso, atiram os sacos da frente de casa. Nem se dão ao trabalho de procurar o ponto correto de descarte", diz.

"Não somos uma empresa de limpeza, mas de transporte. Não temos condição  nem é nossa responsabilidade recolher resíduos diariamente", complementa.

Outro problema, relatado pelo passageiro Antônio César, 50, é a insegurança. O aposentado utiliza o trem três vezes por semana para ir ao centro de fisioterapia das Obras Sociais Irmã Dulce, no largo de Roma.

Ele conta que, há dois meses, foi vítima de  assalto dentro de um dos vagões, por volta das 15h. "Dois pivetes entraram e fizeram um arrastão. Um rapaz foi agredido. Não havia segurança. Se  ocorre isso à tarde, imagina à noite", relata.

Al Mello afirma não ter informações sobre a ocorrência de assaltos no TUE (Trem Unidade Elétrica). "É muito difícil ocorrer, porque dispomos de segurança em cada uma das dez estações e em cada trem", diz.

Capacidade

O Sistema de Trens do Subúrbio transporta 15 mil pessoas por dia, com duas composições. Se contasse com quatro trens em circulação, 50 mil passageiros seriam beneficiados diariamente.

O intervalo de espera é 40 minutos, mas, frequentemente, um dos veículos é tirado de circulação e o tempo aumenta para uma hora.

Sem se identificar, funcionários queixaram-se de três trens reformados, que permanecem no galpão sem nunca ter sido utilizados. O coordenador  de operações da CTB explica que os TUEs foram reformados, por uma empresa no Rio de Janeiro, mas continuaram  com defeito. "O caso está na Justiça desde o ano passado. A empresa foi considerada inadimplente", justifica.